CIFA

Relação de Madre Clara com Maria a Mãe de Jesus – Parte II

Relação de Madre Clara com Maria a Mãe de Jesus

MARIA – Este nome sagrado usava-o, por exemplo, para nos motivar a rezar nos meses de maio, de outubro ou em outros eventos religiosos: Terminando o belo mês de Maria, aumente em nós o desejo de imitar as virtudes desta Mãe querida, principalmente a da santa humildade, pela qual, de modo especial, ela teve a glória de ser escolhida a Mãe de Deus (Cfr. Madre Clara Maria uma... p. 184).  Muito boas festas de Maria, dulcíssimo Nome. Que Ela, a Mãe querida, nos ensine a viver Marianamente (O nome Maria e este qualificativo revelador, nesta citação, são grifos da própria Fundadora). Que a santa humildade contagie todas as “Marias” Aparecidas (Cfr. Madre Clara Maria uma... p. 37). Há escrito em que ela enriquece este nome com a sublime qualificação de “Santíssima”. Subentende-o, em outras salientando a característica desta Mãe, escolhida como pobre, pequena, escura, quebrada, de terra, a “Aparecida”, para ser a Mãe de todos os brasileiros. Ao nos convocar para uma vida vocacional bem vivida:  Aprendamos com o querido São José, esta vida de união com Jesus e Maria (Cfr. Madre Clara Maria uma... p.76); nas ocasiões ou tempos que se costumava celebrar com devoções comunitárias especiais, por exemplo: Boas e muito boas festas do querido São José. Que ele nos mande bênçãos especiais, sendo a primeira a bênção máxima de sabermos amar e servir a Jesus e Maria (Cfr. Madre Clara Maria uma ... p. 71).

 

3) MÃE  –  Nossa Fundadora deixou-nos, em uma de suas cartas às Fraternidades, algo que ressoa como expressão muito clara de sua espiritualidade mariana e que, por coerência, nos cabe viver como membros da família Aparecida da qual é a mãe: A querida Mãe nos alcance a grande graça de vivermos o mais dignamente possível a honra de usarmos o seu dulcíssimo Nome. Que saibamos honrar sempre este lindo Nome que ficou sendo o Nome de nossa querida família Aparecida! (Cfr. Madre Clara Maria uma... p. 187).

Em seus escritos todos, sempre manuscritos, Madre Clara nos deixa entrever quanta veneração dedicou a Maria, na qualidade de Mãe de Jesus, no mistério da Sua Imaculada Maternidade Divina. O titulo mais usado, com pequenas alterações, acréscimos às vezes é o de Mãe querida, presente mais de cinquenta vezes dando, com isto mostras também de que nossa Madre Fundadora era além de conhecedora verdadeira discípula de São Francisco ao dizer-nos: Com Nossa Senhora, Mãe da Igreja e com o Seráfico Pai, preconizado pelo Vaticano II, falemos com Deus sem cessar e escutemo-lo (Cfr. Madre Clara Maria uma... p. 24). Hoje, unidas felicitemos a nossa Mãe do céu, no seu dia natalício (Cfr. Madre Clara Maria uma... p. 184). Transborda o amor mariano de Madre Clara em um parágrafo de uma Circular: A Mãe de Deus, que o Divino Redentor deu como Mãe de todas as raças, fazendo-nos todos irmãos, quis aparecer em águas brasileiras, com a cor morena, dizendo assim, a este nosso grande Brasil católico, que não há inferioridade de raças. Assim, com a cor morena, a Mãe de Deus, a Senhora da Conceição Aparecida, a Mãe de todos os brasileiros é a Rainha e Padroeira do nosso Brasil, assim, reconhecida pela Santa Igreja (Porto Alegre, 25/03/1962)! Como em carta circular natalina: Apresentemos à Mãezinha inigualável as nossas saudações, a Ela, criatura que deu ao mundo o Criador (Cfr. Circular do dia 17/12/1950.

Para celebrar o mês do Sagrado Coração de Jesus, Madre Clara escreveu a Fraternidades: A menor ação de caridade é-lhe imensamente agradável. Tudo faremos pelo Coração imaculado de Nossa Senhora, de quem esperamos a graça de aprender a amar o Divino Coração de seu e nosso Jesus (Cfr. Madre Clara Maria uma... p. 164). A celebração do dia da Assunção de Maria levou-a a dizer-nos: Aproxima-se o grandioso dia da proclamação do dogma da Assunção de Nossa Senhora. Exultemos com a Santa Igreja, saudando, em transportes de santa alegria o triunfo da Mãe querida. Na proclamação da glória sem par de Nossa Senhora ofereçamos-lhe o nosso coração, com a disposição sincera, decidida de esforços constantes para a imitarmos na virtude da santa humildade que a elevou a tal glória, só inferior a de seu Filho (Cfr. Madre Clara Maria uma... p.185). Chamou-a também, em outros escritos, Mãe da Glória; Mãe e Rainha da Glória; Mãe Gloriosa. As celebrações dos dias dedicados ao mistério da entrega total de Jesus por nossa salvação a fizeram rezar e propagar às suas filhas a Mãe das Dores: ... nossa querida Congregação, que vai se estendendo com as bênçãos da querida Mãe Aparecida... nos unindo às lágrimas da Mãe dolorosa cantaremos também unidas o “Aleluia” da Páscoa. Cfr. Circular de 17/03/1951).

Na abertura de Betânias fazia especiais dedicações como em maior número de vezes aparece Mãe Aparecida, ao menos oitenta e nove nos textos consultados. Nossa Mãe Medianeira em um número de vezes um pouco menor.

Madre Clara demonstrou sempre grande sensibilidade e atenção com a realidade de cada uma de suas Irmãs, especialmente no tempo que foi Superiora Geral. Não deixava esquecido o dia onomástico de cada uma. Exemplo: Querida Madre Ana. L.J.C. Ninguém pode esquecer de quem tem por especial padroeira a Mãe e vovozinha do Menino Jesus. ...  Muito desejamos que a Santa Ana ensine a senhora a amar, cada vez mais (o grifo é de Madre Clara mesma), a Mãe Santíssima e ao Menino Jesus (Cfr. Carta de 26/07/1956).

Em circunstâncias festivas, de reflexão, de especial devoção e outras, encontramos recorrentes súplicas, louvores e referências filiais como: A querida Mãe das pobres filhas do Seráfico Pai, para que não lhes faltasse o vinho de uma santa alegria sensível, nestas bodas de prata, trouxe-nos o nosso caríssimo Pai para nos acompanhar nestes dias felizes de graças e de emocionantes recordações (Cfr. Circular de 18/06/1953). Nós fizemos como combinamos, não esquecendo de consagrar toda a querida Congregação ao Coração da Mãe Rainha da Glória (Cfr. Circular de 16/11/1950). Outros títulos encontrados e que mereceriam ser contextualizados: Mãe celeste; Mãe do Bom Conselho; Mãe da nossa Congregação; Mãe Padroeira, Mãe Medianeira; Nossa Mãe Medianeira; Mãe e Rainha do Rosário. Mãe Imaculada; Mãe de Deus e Nossa Mãe. Mãe do próprio Deus; Mãe do mesmo Deus; Mãe de Jesus e nossa Mãe; Mãe do Carmo; Mãe da nossa Congregação; Serva do Senhor.


Colaboração: Ir. Edi Nicolao, cifa